Afrouxa a gravata, tira o salto alto e senta aí. Não podemos adiar essa conversa.

João Vítor Perozzo | Curador de Conteúdo da Elri Net

Há não muito tempo atrás, para entrar em contato com uma empresa, era necessária muita paciência. Em outras palavras, entrar em contato com algum negócio ou marca era uma dificuldade enorme. Era sortudo aquele que tinha um processo de pós-venda e/ou atendimento qualificado.

As empresas conversavam entre si (Business to Business – B2B) ou com os clientes (Business to Clients – B2C). Tudo isso ocorria por meio de uma comunicação quadrada, lenta e morosa.

 

Até quando?

A era digital está nos ajudando a questionar diversos processos de relacionamento com o cliente. O principal é a maneira como nos relacionamos com o cliente.

Se, antigamente, a gente tinha que caçar o cliente por meio de técnicas intrusivas, hoje nós temos que fazer com que o cliente se sinta atraído pela sua marca. Imagine quantas marcas e empresas vendem produtos similares ou idênticos ao seu. Qual diferencial vai atrair o cliente?

A resposta para essa pergunta, em basicamente todos os casos, é a experiência do consumidor. A gente precisa deixar o consumidor se sentindo à vontade e bem assistido, o resto ele faz por conta.

 

Como melhoro isso?

Lembra de quando falamos da morosidade de estar em contato com uma empresa? Foque nisso:

Hoje em dia, nenhum consumidor (ou até mesmo empresa) quer se comunicar de uma forma blocada ou densa. Antes mesmo de falarmos em empresas, consumidores ou outras nomenclaturas, temos que entender que sempre há uma pessoa responsável por realizar essa comunicação.

Ou seja, são pessoas falando com pessoas (Human to Human – H2H).

E como humanos, queremos ter um atendimento humanizado. Isso implica em conversar pelo WhatsApp, ou o que facilitar o atendimento para o cliente; ter uma conversa informal sobre possíveis melhorias que a empresa pode adotar e saber que a nossa opinião pode ser escutada.

Casos como o de Mariane Fonseca, cujo cachorro comeu seu cartão de crédito, ocorrem todos os dias. No entanto, a marca que for compreensiva e humana com seus clientes, se destaca infinitamente mais do que as demais.

E sabe qual a melhor parte de tudo isso? Não custa caro para ser legal e compreensivo com o próximo!

 

Fonte e inspiração: <http://exclusivo.com.br/_conteudo/2018/06/colunistas/roberta_ramos/215535-esqueca-o-b2c-o-momento-agora-e-do-h2h.html>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *