No dia da mentira, a gente vai falar sobre verdade*

Os jovens que nasceram após o ano de 1995 são identificados enquanto Geração Z. Essas pessoas, desde seu primeiro respiro, vivem em um ambiente em que a World Wide Web é uma realidade constante. Diferentemente de gerações passadas, esse grupo enxerga e presencia a realidade no plano físico e virtual. Se para Baby Boomers, Geração X e Millenials o virtual era um oposto ao físico, a Geração Z aceita como complemento.

Desde pequenos, eles foram impactados por centenas de milhões de estímulos, o que os tornou seres extremamente complexos e múltiplos. Isso se reflete na maneira como eles se relacionam consigo mesmo e com os outros, deixando como valor máximo a verdade.

O que é essa verdade?

Para a geração da verdade, apelidada de TrueGen, isso está diretamente ligado à identidade pessoal da pessoa. Todos devem se permitir viver sua verdade, seu estilo e sua complexidade.

Os integrantes da Geração Z quase nunca se consideram algo de maneira fixa. Para eles, é importante viver uma constante experimentação sexual, identitária e de expressão. Outra característica marcante é apoiar a liberdade religiosa, o direito de escolha sobre o próprio corpo, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, entre outros.

Essa geração é altamente inclusiva. Os TrueGen estão cunhando a cultura da soma, ou seja, eles estão substituindo o termo “ou” por “e”.

Abram alas ou essa geração vai passar por cima

Visto que esses jovens instigam a verdade uns nos outros, eles querem consumir a verdade de marcas e empresas. De nada adianta comunicar, se a ação não é condizente. É importante que as empresas se relacionem em um nível pessoal com esses jovens, admitindo seus erros e tendo um viés além do econômico. A era em que a transparência era uma opção chegou ao fim.

De acordo com pesquisa publicada pela Box 1824, 87% dos entrevistados deixam de comprar produtos de empresas envolvidos em escândalos éticos. Desses, 57% advogam contra essas marcas.

Investir na singularidade é entender a beleza da multiplicidade e complexidade dos TrueGen. 63% dos entrevistados defendem todas as causas ligadas à identidade (de gênero, etnia, sexual etc). Voltar-se para essa geração implica em abrir mão do pensamento de larga escala e trabalhar com a personalização de produtos, já que 50% desse público está disposto a gastar mais por um produto personalizado.

E isso só nós leva de volta para o mesmo ponto. Investir na verdade da sua marca e na verdade do seu cliente é o único investimento possível para a TrueGen abraçar sua empresa.

E você: está preparando para abrir o jogo de vez e escancarar sua verdade sobre a mesa?

Fonte e Inspiração: http://pontoeletronico.me/2018/true-gen-a-geracao-da-verdade/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *