Tendências de Quem para Quem? Você entende o seu cliente?

Entender de fato seu cliente é saber que nem todos os estilos e produtos serão vendidos em sua loja.
A velha máxima do marketing, Classe A, B, C, Z ou idade há muito não valida mais perfis. Afinal, luxo é parcelável, a idade não identifica uma personalidade etc.
Por este motivo, a análise crítica é um grande passo para a escolha de mixassertiva. Se você, empresário, nunca pensou dessa forma, comece hoje.
Nem todos os estilos, nem todas as tendências, nem todas as marcas.
A análise feita é mais ou menos assim: a novela dita moda, sim, mas quem é a personagem? Ela identifica o perfil do negócio?
Quanto à merchandisação: novamente, ela deve se identificar com o tipo de cliente. Lojas mais descoladas, como Diesel, expõem seus jeans em ganchos, servidos por lavagens em expositores de lata. É a cara da sua loja? A Le Lis Blanc tem aroma de flores, alia objetos de decoração, maquiagem e roupas e “monta” o closet da sua cliente. Top Shop e Anthropologie contam miniestórias focadas nos momentos de vida da cliente descolada.
A Hemb Porto-alegrense atende o homem contemporâneo. A loja está cheia de espaços convidativos e de produtos que abraçam o cliente. Impossível não amar!
A nova ideia é vender roupas, acessórios, conceito, música, cheiro e objetos que tenham a ver com o público. Ambientado de forma que ela não queira sair mais. De nada adianta ter tudo para todos, achar bonito e diferente um método de para tudo. Foque e se especialize.

De nada adianta ter tudo para todos, achar bonito e diferente e expor um mix infinito, sem personalidade.

Foque e se especialize. Mudar araras, prateleiras, contando estórias coordenadas, possibilita a compra rápida e qualificada. Programar a merchandisação a partir da compra e não depois de tudo comprado, senão será impossível oferecer coleções. Você continuará oferecendo muito mix e pouca qualidade.
Quais são os produtos que fazem o seu diferencial. Esses não podem faltar. Depois cruze o básico com a moda sempre em cima do seu “assortment”.
Dê uma fugida ao mercado, avance as ideias. Fazer concorrência está em visitar novos mercados para “ abrir a mente” e achar soluções para o cliente que faz a sua loja acontecer.

Artigo escrito por Cristiane Ribas Machado – Diretora de Varejo da Ribas Rinaldi Consultoria

Resumo: A nova ideia é vender roupas, acessórios, conceito, música, cheiro e objetos que tenham a ver com seu público. Ambientado de forma que ela não queira sair mais. Foque e se especialize.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *