Notícias

Nilo Borges abre o Siga O Líder deste ano 

17 de Maio, 2023 - Notícias Gerais

Empresário do segmento esportivo contou sua trajetória profissional e falou sobre resiliência profissional.  

O Siga O Líder, promovido pelo Departamento Jovem do Sindilojas Caxias, teve em sua estreia, em 2023, o empresário do segmento esportivo Nilo Borges, que falou aos empresários do comércio sobre "O poder da resiliência na vida profissional, na quarta-feira (17.05), no auditório Integração, em Caxias do Sul.  

Nilo Borges falou sobre como tornar-se um profissional e empresário resiliente em um mundo tão competitivo como o dos negócios. Diretor N1Sport, artigos ortopédicos para esportes, e sócio da AuraLife Materiais Odontológicos e Hospitalares, ele contou que o pai dele sempre dizia: “Façam valer a pena a vida de vocês!”, aprendizado que ele guardou e zelou em sua vida porque o que ele falava refletia os valores da família.  

Executivo na Marcopolo por 29 anos e meio, Nilo estava trabalhando em um projeto de consultoria quando a pandemia chegou. Foi ali que ele teve a resistência para se reinventar: “Resiliência não pode ser confundida com teimosia, insanidade ou coragem. É uma capacidade cognitiva de se adaptar às mudanças”, esclareceu. Segundo ele, a vida exige que a gente analise o quanto vale a pena lutar e por isso a resiliência envolve planejamento e a persistência em acreditar em um projeto, corrigindo a curto prazo. Ele aconselhou os participantes: “Faça networking e estabeleça relações saudáveis. É preciso aprender a fazer a leitura das pessoas que valem a pena”. Ele que foi executivo na China, a primeira economia global, e por dois anos morou na Índia e também na África do Sul, ressaltou que é importante falar a língua de todos, que envolve ouvir para entender o cenário e identificar oportunidades. Na pandemia, abriu uma fábrica de máscaras e começou a fornecer para grandes redes de farmácias: “Foi pelo networking que consegui comprar matéria-prima para a produção e para construir a nova empresa”, conta Nilo. Foram mais de 120 milhões de máscaras e aos poucos o empresário foi ampliando o portfólio com itens de instrumental cirúrgico para se preparar para o fim da pandemia e se manter no mercado: “A melhor estratégia ganha o jogo e é a empresa que deve se adaptar ao cliente: ser resiliente é se cobrar, se adaptar. Não seja o escolhido, escolha você”, finalizou. 

Nesta edição do Siga O Líder, o projeto “Mãos Que Ajudam”, da ADCE, recebeu a doação de 50 Kg de alimentos não perecíveis e mais R$190. 


Sindicato do Comércio Varejista de Caxias do Sul

Intervene